Volta a Portugal 2019 – A Torre não engana, os candidatos viram-se hoje

  • 04-08-2019
  •  

    A etapa começou movimentada, devido à luta pela camisola da montanha e à combatividade da Rádio Popular-Boavista, que colocou dois homens no principal grupo de fugitivos do dia: Luís Gomes e Pablo Guerrero. Esse grupo também foi integrado por Antonio Soto (Equipo Euskadi), Mathias Reutmann (Swiss Racing Academy) e Domingos Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA). 

    Primeira fuga do dia com Domingos Gonçalves na frente.

    A presença de Domingos Gonçalves deixou o pelotão em alerta, motivo pelo qual a W52-FC Porto assumiu a perseguição, mantendo os fugitivos sempre por perto, de modo a evitar surpresas na aproximação à fase decisiva da etapa.

    bikefitting
    Publicidade

    O Aviludo-Louletano assumiu a corrida. Partiu o pelotão logo à saída da Covilhã e, a 15 quilómetros da chegada, lançou Luís Fernandes para um esforço a solo.

    A Rádio Popular-Boavista esteve inconformada ao longo de toda a subida e David Rodrigues deu corpo à combatividade boavisteira, atacando a 4 quilómetros do final, passando por Luís Fernandes, para assumir a solo a cabeça de corrida. Acabaria alcançado pouco depois, na primeira movimentação de Joni Brandão, que testou os adversários com 3 quilómetros em falta para o final. 

    David Rodrigues tentou mais algumas vezes, mas seria a Efapel a lançar a discussão da etapa, nas últimas centenas de metros.

    Henrique Casimiro acelerou, mas João Rodrigues respondeu para triunfar, com Gustavo Veloso logo a seguir, a 1 segundo.

    João Rodrigues arranca determinado para a vitória da etapa da Torre.
    João Rodrigues.

    Joni Brandão foi terceiro, a 5 segundos. O final da etapa ficou ainda marcado por um choque entre Edgar Pinto (W52-FC Porto) e Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano), que atrasou um pouco o espanhol, mas deixou o português muito para trás, por ter caído e ficado com a bicicleta avariada. 

    Joni Brandão e Henrique Casimiro lutaram contra a W52 FC Porto, mas não conseguiram a etapa.

    Tudo permanece em aberto nas contas da geral, mas Gustavo César Veloso deu uma pedalada de gigante para conquistar a Volta a Portugal. Na etapa que, teoricamente, seria mais difícil para as suas características, o galego aumentou a diferença face aos rivais. 

    O líder da W52-FC Porto continua de amarelo. O segundo é o colega de equipa João Rodrigues, a 13 segundos. Vicente García de Mateos está em terceiro, a 20 segundos. Seguem-se dois homens da Efapel, Joni Brandão, a 27 segundos, e Henrique Casimiro, a 40. 

    A quarta etapa, além de deixar Gustavo César Veloso de amarelo, permitiu a manutenção do colega de equipa Daniel Mestre no topo da geral por pontos.

    Vídeo resumo da etapa

    TOP 10 da etapa

    TOP 10 da classificação geral após a etapa 4

    Subscreve a nossa newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do MARRETAMAN.pt. Segue-nos nas várias redes sociais FacebookInstagramYoutube e Twitter.

    Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

    Fotografia: João Fonseca Photographer

    Partilhar
    error

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
    Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

    Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais