Teste – Nova Bike Ridley X-Trail, o mundo ganha outra dimensão

  • 19-03-2018
  •  

    Nascida na Bélgica esta Ridley X-Trail permite-nos pensar “out of the box”, porque quando saímos de casa para pedalar com esta bicicleta, o trajecto que vamos seguir, quase não tem limites.

    Já escrevemos sobre este conceito de bicicletas (as gravel bikes) no nosso site, é um tipo de bicicleta muito versátil, com bastante crescimento noutros países e que já começa a ter alguns utilizadores em Portugal.

    A Ridley é uma marca Belga baseada na região de Flanders, país e zona de grande tradição de ciclismo, onde é realizado o mítico Tour de Flanders, mas onde durante todo o ano existem eventos de ciclismo e onde a população vive mais o ciclismo do que qualquer outro desporto.

    O ADN desta marca está patente no design das suas bicicletas e nesta X-Trail nota-se bem, dentro do mundo das Gravel é uma bicicleta com linhas desportivas e agressivas, não sendo uma bicicleta de ciclocrosse (assim que a colocamos ao ombro nota-se de imediato que não foi construída com esse intuito) ela tem uma geometria próxima deste tipo de bicicletas.

    Essa geometria e design são logo à partida um ponto a favor, a bicicleta tem um aspecto agradável e desportivo mas com linhas clássicas e simples, das quais qualquer ciclista gosta e que perduram ao longo dos anos.

    Deixando a parte estética de lado e falando do que é efectivo, que são as sensações que  transmite, vai depender um pouco da bicicleta que estamos acostumados a usar.

    Isto não é uma bicicleta de estrada, nem uma bicicleta de montanha, não transmite as sensações destas bicicletas, mas jogando com a pressão dos pneus (mais pressão para estrada e menos para fora de estrada), podemos divertir-nos muito com ela em ambos os terrenos.

    Se estivermos acostumados a uma bicicleta de estrada de raiz, vamos achá-la um pouco “molengona”, pois ela tem uma geometria mais confortável e além disso é um pouco mais pesada por ter um quadro mais reforçado que um quadro de estrada.

    Se estivermos habituados a usar uma bicicleta de montanha vamos achá-la um foguete, pois é mais leve e dá sensação de maior rigidez, principalmente a subir.

    Na verdade, só depois de alguns dias a pedalar com esta bicicleta é que se podem tirar conclusões mais reais, depois de não se estar habituado a outras bicicletas mas sim a esta. Aí sim nota-se que é uma bicicleta acima de tudo, muito completa.

    Pode adequar-se a qualquer utilizador, desde o cicloturista que quer fazer longas rotas, por vários terrenos, ao utilizador que quer uma bicicleta para todo o tipo de terreno, mas não quer ter duas bicicletas para tal, ou até para os que fazem as suas competições de estrada ou BTT, pois é uma excelente bicicleta de treino para todo o ano.

    Rodando em asfalto (sem trocar de rodas nem pneus, que é uma coisa que se pode bem fazer nesta bicicleta para obter uma melhor experiência neste aspecto), consegue-se acompanhar um grupo de amigos com bicicletas de estrada sem dificuldades, mesmo com pneus de origem (Clement 700c X 36mm).

    Fora de estrada uma coisa é certa, usando uma pressão de pneus adequada temos muitas horas de diversão garantidas, e com o entusiasmo ganhamos como bónus uma óptima dor de pernas!

    Podemos até aventurar-nos nalguns trilhos simples, sem pedras ou raízes,  mas onde esta bicicleta dá um gozo tremendo de pedalar é em “estradão” de terra.

    É rápida e ágil, está sempre a “pedir” que carreguemos no pedais para ir mais rápido. Neste terreno a rolar, parece que estamos instalados num foguete!

    Se nos dá gozo rolar em “estradão” com uma 29er., quando experimentamos esta bicicleta, é a loucura completa, é sem dúvida o terreno dela.

    A Ridley X-Trail que testámos vem equipada com SRAM Force 1, com um só prato de 46 dentes (embora o quadro suporte desviador para utilização de dois pratos) e uma cassete 42-10.

    No nosso teste, fizemos subidas com inclinações de 20% fora de estrada mas vamos ser sinceros, esta relação, estejas melhor ou pior preparado, poderá não ser a ideal se quiseres passar um dia no meio da serra entre subidas e descidas.

    Com um prato adequado à preparação de cada um, fica perfeita. Esta transmissão tem aquele tipo de passagens rápidas, certas em qualquer terreno e com aquele “clack” a fazer lembrar um carro de competição, dando prazer quando a utilizamos.

    Os travões de disco são outro dos componentes de que gostámos, pois seja em terra ou asfalto, seja em seco ou molhado garantem uma potência de travagem sempre igual.

    As rodas “DT Swiss RR21 dicut db” com os míticos cubos “DT240”, “tubeless ready”, encaixam perfeitamente no conjunto pois não comprometem nem tornam a experiência de pedalar nesta bicicleta menos boa, ao contrário de outras bicicletas que por vezes vemos bem equipadas, com excelentes quadros, mas com rodas de gama baixam que deitam por terra a óptima experiência que se poderia obter com aquele conjunto.

    Em suma, se andas de bicicleta durante todo o ano, gostas de sair do asfalto e andar fora de estrada para evitar trânsito e confusão, desfrutar do silêncio do campo e da montanha, esta bicicleta pode ser uma boa escolha para ti.

    Deixamos-te um vídeo com um resumo dos sítios por onde andámos com a x-trail, que mostra um pouco da sua versatilidade.

    Geometria e medidas:

    Podes ver todas as especificações técnicas clicando aqui.

    Encontras mais sobre as Gravel Bikes aqui.

     

    Luís Beltrão

    (Mr.B.)

     

     

     

     

    Partilhar
    error

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
    Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

    Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais