Novidades 2018 – Nova MERIDA Reacto

Por | 11-09-2017 | Equipamento, Estrada

Na sua terceira geração, a Merida Reacto surge mais leve, mais confortável, ainda mais aerodinâmica e com travões de disco.

Mais Aero

Segundo os engenheiros da MERIDA, a melhoria aerodinâmica graças a tubos mais finos na construção do quadro, à posição do selim e consequente postura do ciclista mais rebaixados, mais o avanço e guiador integrados dão um ganho de 5% em aerodinâmica ou 8 watts a 45km/h.

Não estamos a falar de uma moto, logo estes números são sempre relativos e dependem de muitas variáveis, mas os testes são feitos em túnel de vento no sentido de melhorarem e evoluírem a bicicleta.

Melhorias evidentes

Uma coisa é certa, o modelo anterior já tinha 3 anos sem nenhum “refresh” e a bicicleta de 2018 parece colmatar algumas lacunas que eram bem visíveis na anterior, como o peso algo excessivo ou simplesmente o sistema de entrada dos cabos no quadro.

À esquerda, no sistema antigo ou os cabos ficavam soltos como na foto e não entravam correctamente no quadro, ou tinham uma peça que os pegava ao avanço, mas com o mexer do guiador gastava as espirais.

À direita, (no sistema que de novo não tem nada) é mais simples e poderá funcionar bem melhor, os cabos vão directos ao tubo diagonal.

No que respeita ao conforto, a bicicleta anterior já era surpreendentemente confortável para o tipo de bicicleta, muito graças ao sistema “s-flex” do espigão de selim.

Na nova Reacto (a Reacto 3) este sistema foi melhorado e de acordo com a MERIDA o conforto melhorou em 10%! Não podemos comprovar os valores indicados, mas olhando para um e para outro, no mínimo mantém-se, o que é óptimo.

A largura do recorte do espigão cresceu, o que supostamente confere mais absorção de vibrações. Além disso o espigão é mais estreito e logo mais aerodinâmico.

Travagem

Outra novidade na Reacto 2018 é a opção de travão de disco, existem sete novos modelos Reacto, cinco dos quais são com essa opção.

O quadro CF4 (especificação do carbono dos modelos topo de gama) com travão de disco é só 30 gr’s. mais pesado que o quadro sem esse sistema de travagem, e a forqueta tem também 30 gr’s. a mais, por serem mais reforçados em algumas zonas.

No quadro CF2 (especificação do carbono dos modelos de gama média), a diferença de peso entre o quadro com ou sem disco é maior, 57 gr’s. no quadro e 40 gr’s. na forqueta respectivamente.

A MERIDA dotou os seus modelos de travão de disco com um sistema de arrefecimento dos mesmo.

É um sistema único da marca que através de uma pequena estrutura de alumínio reduz as temperaturas inerentes da travagem em cerca de 35%, e muito mais rápido do que a pinça isolada, graças à dissipação do aquecimento.

Nos modelos de gama alta (Reacto Team-E, e Reacto 9000-E), a Merida inclui guiador e avanço integrado de origem, tendo sido escolhido o Vision metron 5D (FSA).

As opções disponíveis

Como descrevemos anteriormente, existem dois tipos de carbono à disposição, sendo o CF4 para os modelos de gama alta e o CF2 para os restantes.

Nos modelos de topo há opções de equipamento desde o Shimano Dura-Ace Di2 (Reacto Team-E), passando pelo Sram E-Tap (Reacto 9000-E), Shimano Ultegra Di2 (Reacto 7000-E e 8000-E), até ao Ultegra convencional mecânico (Reacto 6000) e no modelo de carbono mais baixo o Shimano 105 (Reacto 4000).

Por norma os sites só mostram as fotos dos modelos topo de gama, as pessoas chegam à loja, vêem os modelos de gama média e ficam um pouco defraudados.

Deixamos a foto da Reacto 6000 para que vejam como fica a bicicleta com rodas de alumínio, com guiador e avanço normais. Como normalmente, perde um pouco o “charme” principalmente na parte das rodas, mas não deixa de ser uma bicicleta com uma presença forte.

A “dieta”

No que respeita a peso, a Reacto melhorou bastante relativamente ao modelo anterior.

O quadro pesa menos 240gr’s., a forqueta menos 38gr’s., espigão menos 94gr’s., caixa de direcção menos 7,5gr’s., no total são 379,5gr’s a menos no conjunto.

A nova Reacto é das principais novidades de 2018 da MERIDA, é uma bicicleta que é uma referência na gama das AERO, dos primeiros modelos a surgir e que já vai na sua terceira geração.

As melhorias e novidades enchem o olho, tornam a bicicleta mais atraente, mais actual e aparentemente mais prática. Só nos falta experimentar.

 

Mr. B.

 

 

 

 

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais