Nélson Oliveira quarto classificado no Mundial de Contrarrelógio Individual

Por | 20-09-2017 | Estrada, Notícias

O português Nelson Oliveira foi hoje o quarto classificado no contrarrelógio de elite do Campeonato do Mundo de Estrada, disputado em Bergen, Noruega.

É o melhor resultado de sempre de um corredor luso nesta competição, superando o sétimo posto que o mesmo Nelson Oliveira alcançara em Ponferrada, em 2014.

O ciclista bairradino completou os 31 quilómetros, entre o centro da cidade de Bergen e o alto do Monte Fløyen, em 46m09,52s. Nelson Oliveira fez uma corrida de grande nível, sempre em crescendo, melhorando de ponto intermédio para ponto intermédio. Cortou a meta apenas a 7 segundos de Chris Froome que fechou o pódio.

O holandês Tom Dumoulin teve uma vitória incontestável, com 44m41s, deixando o esoloveno Primoz Roglic, vencedor da Volta ao Algarve em 2017, a 57,79 segundos. O terceiro, a 1m21,25s, foi o britânico Christopher Froome. Nelson Oliveira ficou a 1m28,52s do vencedor.

Ficar fora do pódio por apenas uma posição tem um sabor agridoce, já experimentado por Nelson Oliveira, no Campeonato da Europa de 2016.

“Estou muito contente com o quarto lugar. É verdade que se fica à porta da medalhada, mas o ciclismo é mesmo assim, alguém tem de ser quarto. Já no ano passado me aconteceu no Campeonato da Europa. Estou contente. Agradeço à Federação, à minha equipa e a toda a minha família por este momento”, afirmou o corredor luso.

“A verdade é que não estava à espera de fazer este resultado, mas senti-me bem em todo o percurso. Sabia que tinha de regular para a última subida. Muitas pessoas vão perguntar se a troca de bicicleta foi uma boa opção. Perdi algum tempo na mudança, mas foi a melhor decisão. Tenho a certeza de que, com a bicicleta de contrarrelógio não faria a subida que fiz. Reconheço a chuva na última série pode ter-me favorecido”, acrescentou Nelson Oliveira.

Rui Costa foi o outro representante nacional no contrarrelógio de hoje, terminando na 33.ª posição – entre 65 participantes –, a 3m10,54s do vencedor. “”Tive boas sensações e controlei a prova dentro das minhas expectativas. Consegui produzir os ‘watts’ que tinha definido para esta prova. É certo que depois da recuperação pós-Vuelta, este contrarrelógio ajuda a ganhar ritmo para a prova de fundo, mas o objetivo principal não era esse, mas dar o meu máximo”, disse Rui Costa, no final do exercício individual.

Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

 

Mr. B.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais