Jumbo-Visma passará a utilizar Cervélo, mas Wout Van Aert não

Por | 10-12-2020 | CicloCrosse

Como já havíamos adiantado no nosso artigo sobre o mercado de transferências do pelotão World Tour aqui, a Jumbo-Visma passará a utilizar Cervélo em 2021, trocando a marca actual Bianchi.

Em Janeiro surgem os novos patrocinadores nas camisolas, equipas e ciclistas passam a utilizar as bicicletas de 2021 (só a partir de Janeiro pois os contratos são feitos de Janeiro a Dezembro), mas ao que parece Wout van Aert não utilizará a nova marca da Jumbo-Visma (Cervélo) nas corridas de ciclocrosse que vai realizar no início do ano.

Relembramos que a temporada de ciclocrosse normalmente realiza-se entre Setembro e Fevereiro, e isso significaria trocar de bicicleta a meio desta temporada.

Por norma os ciclistas recebem as novas bicicletas ainda antes do contrato começar a vigorar oficialmente (Janeiro), para se começarem a adaptar, não podendo colocar fotografias das mesmas nas redes sociais, nem “serem vistos” com bicicleta diferente daquela com que a equipa tinha contrato no presente ano.

De acordo com a imprensa belga o próprio Wout Van Aert já foi visto a pedalar na sua nova Cervélo de estrada, mas no que respeita à actual temporada de Ciclocrosse Van Aert estará protegido por uma cláusula de excepção. 

O tri-campeão do mundo de ciclocrosse não utilizará uma bicicleta ciclocrosse Cervélo na actual temporada de ciclocrosse. A imprensa belga relata que Wout Van Aert vai pedalar numa bicicleta de ciclocrosse sem marca a partir de 1 de Janeiro e até o final da temporada de ciclocrosse 2020-2021. (Na verdade será a sua Bianchi Zolder descaracterizada).

“Afinal, trocar de bicicleta a meio da temporada não é recomendado”, informam os próprios representantes da Cervélo, mostrando a sua compreensão.

Mas, porque não utiliza uma bicicleta Cervélo de ciclocrosse?

Porque a Cervélo não tem bicicleta de ciclocrosse na sua colecção actual, só tem a Cervélo Aspero que é uma bicicleta de Gravel (completamente diferente de uma bicicleta de Ciclocrosse de raíz), bicicleta com a que, por exemplo Joris Nieuwenhuis (corredor profissional de ciclocrosse da Team Sunweb) tem participado desde o ano passado nas corridas de ciclocrosse, mas que Wout Van Aert não aceita aparentemente.

Cervélo Aspero da equipa Sunweb no ciclocrosse

Ainda não se sabe qual o modelo da Cervélo que Van Aert utilizará na temporada de ciclocrosse de 2021-2022. “Nesse sentido, estamos a trabalhar noutras opções”, relata a Cervélo.

Assim sendo aguardem, pois é quase certo que 2021 irá trazer ao mercado uma nova Cervélo de ciclocrosse. Ou muito nos enganamos ou será desde logo um dos modelos mais populares e campeões de vendas. (Wout Van Aert é uma óptima “bandeira”).

Este episódio não é único na história, já em 2011 o mítico Zdenek Stybar finalizou a temporada de Ciclocrosse utilizando a sua Ridley com autocolantes Eddy Merckx (marca utilizada pela Quick-Step na altura).

Wout Van Aert só dá trabalho às pessoas, agora provavelmente vão fazer uma bicicleta para ele. Deveria ter o seu nome, poderia ser uma Cervélo Wout, ou uma Cervélo Aert por exemplo, não acham?

Por: Luís Beltrão

Subscreve a newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do MARRETAMAN.pt. Segue-nos nas várias redes sociais Youtube , Instagram , Twitter , e Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais