Famosa marca de nutrição 226ERS em Portugal

  • 05-11-2019
  •  

    É pela mão da empresa Portuguesa NHT que o publico português passará a ter a 226ers em Portugal.

    Embora a famosa marca de nutrição americana 226ers (twenty two sixters) seja mais conhecida e direccionada ao público do triatlo, olhando para a sua gama de produtos facilmente se percebe que estes podem ser usados quer por ciclistas, razão pela que a marca também aposta em provas como a conhecida Titã-Desert por exemplo.

    No Homem da Marreta (HDM) estamos sempre atentos às novidades e estivemos presentes na apresentação e lançamento da marca em Portugal.

    Mostramos-te como foi neste vídeo, no qual Pedro Bartolomeu da empresa NHT explica um pouco o conceito e vantagens da marca.

    Na página web da 226ers, encontramos uma página interessante, que de uma forma simples e resumida explica como funcionam os suplementos mais usados pelos atletas, como por exemplo os sais minerais, os hidratos de carbono, a cafeína, a proteína e os recuperadores.

    Transcrevemos esse texto original de Jesús Sánchez Bas e Guillermo Olcina Camacho, e cuja a fonte original é Revista Triatlón.

    Ter uma dieta correta é algo básico quando se trata de saúde e busca pelo melhor desempenho possível. Também comentamos que, embora seja seguida uma dieta adequada, no que respeita a suplementos alimentares, a resposta está no que não conseguimos obter na nossa dieta.

    Ou seja, existem substâncias específicas que faltam à nossa dieta, que podem ser substituídas pelo uso de suplementos alimentares.

    Aqui vamos listar os suplementos mais comuns e como deves tomá-los.

    Sais minerais

    Os principais sais utilizados pelo triatleta são sódio, potássio e magnésio.

    Esses sais desempenham um papel importante na contracção muscular, além de ajudar a reter a quantidade correta de água para manter a hidratação, como é o caso, por exemplo, dos sais de sódio.

    Os sais minerais enriquecem a água consumida, adicionam 0kcal e são extremamente importantes quando os níveis de transpiração são altos, especialmente em ambientes quentes ou quando se realiza treino em ambientes fechados.

    A maneira mais fácil de consumir sais minerais é dissolvida na água, embora isso seja normalmente confundido com bebidas rotuladas como “sais”, que também incluem hidratos de carbono e não são bebidas de sal puramente à base de minerais.

    Barras e géis energéticos também podem conter uma quantidade extra desses minerais. Os sais minerais também podem ser encontrados em estados mais puros, como cápsulas de sal, que podem ser dissolvidos em água com ou sem hidratos de carbono, ou misturados com outros produtos, como géis e barras energéticos.

    Pode ser necessário aproximadamente 500 a 1000mg por hora de sódio.

    Hidratos de carbono

    Este é o combustível de média e alta intensidade que é fundamental na competição. As recomendações a seguir devem sempre e somente ser consideradas ao praticares, e te acostumares a consumir essas quantidades antecipadamente no treino:

    Corridas Sprint – 30g / h. de hidratos de carbono.
    Corridas de distância olímpica – 60g / h. de hidratos de carbono.
    60-90g / h. em corridas de média / longa distância.

    Os hidratos de carbono podem ser obtidos consumindo géis, sais, gomas ou bebidas energéticas (aquelas que são rotuladas como “sais”).

    Para “satisfazer o gosto dos consumidores”, um ou outro pode ser consumido, dependendo da preferência dos triatletas ou do ambiente de treino em que se encontram, seja no interior ou exterior.

    Cafeína

    É um estimulante menos permitido devido aos efeitos adversos que pode causar. Recomenda-se que seja seguida uma dose de 3-6mg. / kg de peso; dependendo de como o atleta está acostumado.

    Também deve ser levado em consideração que o momento de pico é de 30 a 45 minutos após a ingestão, durando os seus efeitos aproximadamente 45 minutos ao longo de 6 a 8 horas.

    No caso de corridas de sprint / olímpicas, recomenda-se que a cafeína seja consumida antes de iniciar; no caso de corridas de média e longa distância, é melhor consumir cafeína em doses menores, distribuídas ao longo do evento.

    Produtos de recuperação:

    Como o nome indica, aceleram e facilitam o processo de recuperação. Existem vários tipos disponíveis, porém os mais comuns são os de recuperação encontrados vinculados ao desporto e à competição.

    Esses tendem a conter uma mistura de hidratos de carbono e proteínas com o objectivo principal de restaurar as reservas de glicogénio empobrecidas nos músculos e impulsionar o processo de reparação de “microestruturas” nos tecidos musculares que foram danificados após o treino.

    Também existem outros produtos de recuperação “mais lentos” que são usados ​​durante períodos intensos de treino com o objectivo principal de ajudar o processo de recuperação dia após dia.

    A caseína proteica pode ser encontrada nesses produtos de recuperação e é aquela que favorece a ‘recuperação lenta’, como é o caso de outros produtos que favorecem a regeneração dos tecidos e ajudam a permitir um melhor descanso ao dormir.

    Proteína

    O termo proteína refere-se melhor a aminoácidos. Idealmente consumido numa mistura de pelo menos 8 aminoácidos essenciais e medido numa dose de 20-25g. após o treino de força ou consumido para ajudar na recuperação após uma sessão exigente.

    A melhor proteína é a proteína ‘whey’. Além de ter valores biológicos mais baixos, as proteínas vegetais requerem uma quantidade maior por dose, a fim de obter o mesmo efeito que a proteína do soro de leite.

    Glutamina

    A principal função deste aminoácido é fornecer nutrientes para os glóbulos brancos do corpo. Pode ser usado para ajudar na recuperação ou durante períodos intensos de treino, quando o sistema imunológico pode estar esgotado.

    Creatina

    Este é o combustível necessário para o treino láctico anaeróbico e pode tornar-se essencial quando a força e a velocidade têm maior importância.

    Deve-se levar em consideração que a força e velocidade ajudam um atleta a melhorar o desempenho em desportos de resistência, e este suplemento pode ser essencial e não deve ser esquecido.

    BCAA’s

    Consistem em três aminoácidos chamados valina, leucina e isoleucina. Podem ser consumidos para ajudar na recuperação após sessões de força ou treino intensivo (se as proteínas não forem usadas).

    Os BCAA’s também podem ser usados ​​durante os treinos ou corridas de longa distância, uma vez que a oxidação dos BCAA’s também pode fornecer energia, mas ao mesmo tempo também causa fadiga. Essa oxidação pode ser reduzida ao longo do tempo graças à ingestão de suplementos de BCAA’s adicionados. Deve-se considerar que uma quantidade maior de leucina melhora esse efeito.

    Fim de texto.

    Poderás obter mais informações sobre a 226ers através do site da NHT

    Subscreve a nossa newsletter semanal para receberes todas as notícias e conteúdo original do MARRETAMAN.pt. Segue-nos nas várias redes sociais FacebookInstagramYoutube e Twitter

    Partilhar
    error

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
    Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

    Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais