Pais e Filhos – cuidados a ter ao comprar bicicletas de criança.

  • 29-09-2017
  •  

    Todo o ciclista sabe que há uma altura da sua vida em que aos fins de semana, logo bem de manhã a prioridade passa a ser outra, em vez de ir pedalar.

    É quando chega a paternidade!

    Aí a prioridade passa a ser … conseguir ter algumas horas de sono!!! 😀 😛

    Trocam-se os bidões da bicicleta por biberões e nas prateleiras da cozinha as barras energéticas e os isotónicos dão lugar às farinhas lácteas.

    Mas aí já o tempo está a contar, “tic-tac”, “tic-tac”, quando chegará o momento de lhe comprar o seu primeiro triciclo ou bicicleta?”

    Há quem não perca muito tempo 🙂

    Todas as crianças gostam de andar de bicicleta, e quase todos nós sabemos que a bicicleta está no lote de presentes mais fixes que tivemos na nossa infância!

    Para um pai/mãe ciclista, ver a primeira pedalada do seu filho é quase tão comovente como ver os seus primeiros passos!

    Então, quando chega a altura de adquirir uma bicicleta de criança, quais os factores a ter em conta? É uma qualquer?

    Alguns pais que têm possibilidade acreditam que devem comprar algo de uma marca de referência (Specialized, Scott, Trek, Cannondale, Giant, Merida, etc.) pode ser mais caro, mas será melhor que qualquer outra!

    Outros acreditam que devem comprar algo num tamanho acima do adequado, pois o/a pequeno/a já consegue dar uma pedalada naquela bicicleta, e como crescem muito rápido mais vale comprar algo que dure mais tempo.

    É um facto que as crianças crescem rápido, por isso é que comprar a primeira bicicleta para uma criança pode tornar-se confuso, mas é uma decisão e um acto muito importante, pois vai influenciar a experiência futura daquela criança ao andar naquela bicicleta.

    Em primeiro lugar a criança tem que gostar, de preferência que seja ela a escolher a cor e a própria bicicleta (dentro das opções que lhe mostram), depois tem que experimentar e sentir-se à vontade nela.

    O tamanho e peso da bicicleta são importantes porque vão ter influencia no seu à vontade com ela, a segurança com que a irá usar, confiança que irá ganhar e o consequente desenvolvimento.

    Numa bicicleta demasiado pequena a criança não desenvolve bem os seus movimentos, numa demasiado grande, fica esticada e não tem força suficiente para a manobrar.

    Não cometam o erro de comprar uma bicicleta maior para durar mais tempo, pois se os pequenos não se adaptarem ou não a manobrarem bem, simplesmente não vão querer andar nela.

    Mesmo que o consiga fazer na loja, uma coisa é a criança conseguir manobrar e pedalar num chão liso, outra coisa é na rua, onde existem alguns declives e irregularidades no chão (mesmo que pequenos para nós, para eles não o são).

    O teste na loja depois pode não dar certo na rua ou seja, o menino ou a menina têm que manobrar a bicicleta sem dificuldades na loja.

    Não se guiem pelo facto de ser uma marca de referência de bicicletas, mas sim pelos atributos da bicicleta em si.

    Que atributos?

    Ser leve (dentro do tamanho, e espantem-se, as marcas de referência não são mais leves). Este atributo é mais importante, quanto menos idade tiver o/a pequeno/a, porque com 2/3 anos ainda não têm força para simplesmente segurar na bicicleta;

    ser resistente quanto baste (resistente sim, mas não esquecer que as crianças não vão fazer down hill na bicicleta);

    de construção simples (não terem “tecnologias” a mais, ser simplesmente uma bicicleta com aquilo que uma bicicleta tem que ter);

    como referimos antes, ser o tamanho adequado (resistir à tentação de comprar tamanho acima, pode influenciar a mais rápida adaptação da criança à bicicleta);

    ter “pinta” (ser aquela que a criança preferiu, mesmo que seja fluorescente quando gostemos de branco, seja verde quando sejamos do Benfica, ou seja rosa quando tenhamos um menino).

    Após estes passos, é só rezar para que depois de chegar a casa a criança não mude de ideias e diga que afinal não gosta, que também pode acontecer!

    Uma coisa é certa, arriscar comprar a bicicleta de princesa com flores, ou arriscar comprar a mini “BMX turbo” sem eles verem ou experimentarem, pode não ser boa ideia.

    Nas lojas, podem encontrar tabelas guia de tamanhos adequadas a cada marca, que no caso das crianças não definem o tamanho do quadro, mas sim o tamanho de roda que a bicicleta para aquela idade/altura deve ter.

    As bicicletas sem pedais ajudam as crianças a adaptarem-se à bicicleta depois do triciclo, e ajudam a ganhar equilíbrio para depois passarem para a bicicleta com pedais.

    Por ultimo, o mais importante é mesmo passar tempo com eles na bicicleta, deixamos um pequeno mimo dedicado aos pais e filhos ciclistas. 🙂

    Boas pedaladas com os vossos pequenos!

    Por: Luís Beltrão

    Partilhar
    error

    One comment on “Pais e Filhos – cuidados a ter ao comprar bicicletas de criança.”

    1. Carla diz:

      Muito bom, bem escrito e util.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Para colocar um comentário, deve ler e concordar com as normas RGPD abaixo:
    Este formulário regista o seu nome, email e comentário para que possamos gerir os comentários colocados no nosso site. Para mais informação sobre como, porquê e onde armazenamos os seus dados por favor consulte a nossa Política de Privacidade.

    Utilizamos cookies para garantir a funcionalidade e melhor experiência de navegação no nosso site. Saber mais